Category: Sem categoria

2º Passeio dos Idosos e Reformados 2017

Passeio dos Idosos e Reformados 2017
Daniel Bernardo, Presidente da União das Freguesias da Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai, e todo o seu executivo, a todos os participantes desejam Boa Viagem e um dia agradável.
Hoje, dia 04 de Agosto de 2017, realiza-se o segundo e último Passeios dos Idosos e Reformados da União das Freguesias da Póvoa de Varzim, Beiriz e Argivai, com a participação de todos os interessados com 60 ou mais anos ou reformados.
Dez autocarros, deixaram hoje a Póvoa de Varzim, seguindo até Ponte de Lima, primeiro local de paragem, onde as pessoas poderão passear e visitar a 9ª Vila mais antiga de Portugal, terra do verdejante Minho, nascida na região do vale do Lima e debruçada sobre o rio que lhe deu o nome, recheada de belezas naturais e monumentos diversos.
Em pleno coração do Vale do Lima, a beleza castiça e peculiar da vila mais antiga de Portugal esconde raízes profundas e lendas ancestrais. Foi a Condessa D. Teresa de Leão quem, na longínqua data de 4 de Março de 1125, outorgou carta de foral à vila, referindo-se à mesma como Terra de Ponte. Anos mais tarde, já no século XIV, D. Pedro I, atendendo à posição geo-estratégica de Ponte de Lima, mandou muralhá-la, pelo que o resultado final foi o de um burgo medieval cercado de muralhas e nove torres, das quais ainda restam duas, vários vestígios das restantes e de toda a estrutura defensiva de então, fazendo-se o acesso à vila através de seis portas.
Chegamos à ponte sobre o rio Lima. Segundo a lenda, no ano 135 A.C., os romanos hesitaram em atravessar este rio, tomando-o como o mítico Lethes, o “rio do esquecimento”.
A ponte, que deu nome a esta nobre terra, adquiriu sempre uma importância de grande significado em todo o Alto Minho, atendendo a ser a única passagem segura do Rio Lima, em toda a sua extensão, até aos finais da Idade Média. A primitiva foi construída pelos romanos, da qual ainda resta um troço significativo na margem direita do Lima, sendo a medieval um marco notável da arquitectura, havendo muito poucos exemplos que se lhe comparem na altivez, beleza e equilíbrio do seu todo. Referência obrigatória em roteiros, guias e mapas, muitos deles antigos, que descrevem a passagem por ela de milhares de peregrinos que demandavam a Santiago de Compostela e que ainda nos dias de hoje a transpõem com a mesma finalidade.
A partir do século XVIII a expansão urbana surge e com ela o início da destruição da muralha que abraçava a vila. Começa a prosperar, por todo o concelho de Ponte de Lima, a opulência das casas senhoriais que a nobreza da época se encarregou de disseminar. Ao longo dos tempos, Ponte de Lima foi, assim, somando à sua beleza natural magníficas fachadas góticas, maneiristas, barrocas, neoclássicas e oitocentistas, aumentando significativamente o valor histórico, cultural e arquitectónico deste rincão único em todo o Portugal.
Terminada esta visita, o destino será Vila Praia de Âncora, situada no fim de um vale protegido a norte pela Serra D’Arga e a sul pelo Monte de Santa Luzia, uma vila piscatória carregada de tradições. O rio Âncora faz a divisão da praia, a norte, onde se forma uma pequena piscina, propícia para as brincadeiras das crianças, é delimitada por um pontão, próximo do Forte do Lagarteiro e dum pequeno porto de pesca; a parte sul, à qual se acede através de uma ponte reservada a peões, é moldada por um cordão dunar, protegido por longos passadiços de madeira.
Na Quinta do Cruzeiro, será passado o resto do dia, tendo os participantes um almoço e um lanche, com animação musical e baile e onde poderão conviver e divertir-se. Envolvida em plena harmonia com a natureza, a Quinta do Cruzeiro, em pleno espaço rural e a 2 km do mar, combina o antigo, com suaves toques de modernidade. Abrigada pelo frondoso verde da região, a Quinta do Cruzeiro proporciona um espaço onde o rústico e o contemporâneo vão de mãos dadas para oferecer momentos agradáveis.
(Parte do texto da Net)


About Marisa .


Deixe o seu comentário

Copyright © 2012 - 2018 Fresoft